SEGUP | Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social | www.segup.pa.gov.br

Desenvolvimento socioeconômico em bases sustentáveis, a partir do aumento da eficiência na produção pecuária e agroflorestal. Eis os objetivos da reunião conduzida pelo secretário adjunto de Recursos Hídricos e Clima da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Raul Protásio, nesta quinta-feira, 12, na sede da Sedeme, junto ao Grupo de Trabalho (GT) responsável pela política de atuação integrada “Territórios Sustentáveis”, criada por decreto do governador Helder Barbalho, em dezembro de 2019, sob a coordenação da Semas, e que iniciará sua atuação de fomento ao setor produtivo em 20 deste mês, no município de São Félix do Xingu, na região do Baixo Amazonas, com a presença inclusive do próprio governador.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Iran Lima, enfatizou a determinação do “Territórios Sustentáveis” na busca do aumento da produtividade por meio da assistência técnica, extensão rural e inovação tecnológica para o campo.

“Queremos fomentar a economia paraense a partir da valorização dos produtos e subprodutos da biodiversidade amazônica, além de promover o ordenamento territorial com a regularização ambiental como incentivo ao desenvolvimento rural sustentável e a uma cultura de paz no campo’’, salientou o titular da Sedeme.

Raul Protásio reiterou ainda o interesse na capacitação para a gestão da propriedade rural visando o aumento da produtividade. O encontro de trabalho na Sedeme reuniu os técnicos da Sedeme, Mauro Barbalho e Célia dos Anjos, e ainda da Semas, Banpará, e das entidades parceiras Sebrae, Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras do Estado do Pará (OCB-Pará), Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.  

A intenção é firmar parcerias com a sociedade civil, o setor privado e outras esferas do poder público, na região do Baixo Amazonas. A ação dos Territórios Sustentáveis é comprometida com as vocações econômicas dos municípios, a recuperação de áreas degradadas e a conservação do capital natural.

O diretor de Desenvolvimento da Indústria, Comércio e Serviços, da Sedeme, Francisco Pantoja, observou que a Sedeme já trabalha no levantamento e identificação das oportunidades econômicas na região do Baixo Amazonas, para que a busca do desenvolvimento regional esteja alinhada às necessidades econômicas locais.

“A gente acredita que sem a mudança do contexto econômico o desmatamento tende a se perpetuar, então nós precisamos avançar no desenvolvimento regional e as instituições reunidas aqui, cada uma em sua área de competência, têm uma grande contribuição a dar à construção das ações que impactem positivamente a renda e geração de empregos’’, disse o diretor Francisco Pantoja.

 

Raul Protásio enfatizou que o propósito da atuação integrada é o ordenamento territorial e a regularização ambiental como incentivo ao desenvolvimento econômico sustentável.

 

Em São Félix do Xingu, o GT quer trabalhar na linha da pecuária de corte, de leite, dos sistemas agroflorestais que permitam a produção consorciada, também com a fruticultura. O município tem plantios de açaí e cacau. E o GT também quer verticalizar essa produção na própria propriedade e em cooperativas através das agroindústrias.

 

A dinâmica do evento no próximo dia 20, em São Félix, será de seminário com o governador encerrando a programação, e por todo o dia secretários e técnicos estaduais e das entidades parceiras, como o Sebrae, (Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras do Estado do Pará (OCB-Pará), estarão disponíveis para explicar e esclarecer o acesso às linhas de crédito do Banpará e demais benefícios ofertados por órgãos estaduais.

Atenção! Este evento foi candelado em razão da pandemia provocoda pelo novo coronavírus. 

 

 

Veja Também