SEDEME | Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia
Início » Noticias » Projeto Na Fábrica vai à duas indústrias da Região Metropolitana de Belém.

Duas fábricas da Região Metropolitana de Belém receberam, ontem (16), as equipes do “Na Fábrica”, projeto que tem o intuito de incentivar o crescimento do setor industrial do Estado, potencializando a produção local e promovendo a comercialização em larga escala. A comitiva, formada por representantes do Sistema FIEPA e do Governo do Estado do Pará, conheceu os processos de industrialização do forro PVC e do açaí em polpa e mix.

O “Na Fábrica” é uma iniciativa inédita, criada recentemente pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (SEDEME) e que conta com a importante participação da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (CODEC), Banco do Estado (Banpará) e o Sistema de Federação das Indústrias (FIEPA). A ideia do projeto é o Governo do Pará e a entidade do setor produtivo se fazerem presentes no segmento industrial do Estado por meio de visitas às unidades fabris, buscando conhecer e entender a estrutura produtiva e de competitividade de cada uma. A partir daí inicia-se um Canal de relacionamento para que as ações de políticas públicas sejam efetivadas na região. Interação considerada importante para o titular interino da SEDEME, Carlos Ledo, “Essa parceria é importantíssima, é o Estado chegando ao lado da FIEPA e chegando no setor produtivo, o que vai sempre ocasionar uma interação maior e dessa interação, decisões acertadas às empresas. Então, para mim, esse nosso projeto, essa nossa ação é importantíssima para o crescimento do Estado”

A primeira indústria do dia a receber as equipes que compõem o projeto foi a Poly Perfil, empresa que atua na produção de forro PVC e está localizada no município de Ananindeua. A marca tem mais de 30 anos no mercado, atende o Pará, Fortaleza, Macapá e Maranhão e é responsável por cerca de 130 postos de emprego somando o quantitativo de funcionários nas três unidades de produção que, juntas, dão conta de aproximadamente 1.750 toneladas de material que saem mensalmente para fora do Estado. De acordo com a Leila Guedes, contadora e sócia da fábrica, os preceitos de sustentabilidade na rotina da produção são aplicados e monitorados desde o volume do barulho causado pelo maquinário, para evitar a poluição sonora, até o adequado destino dos resíduos que são gerados. Ter a presença do Governo no seu ambiente de trabalho foi algo inédito para ela, “esse momento está sendo muito importante para nós, pois nesses 30 anos que temos aqui no Estado, a gente nunca teve uma visita dessa, uma visita do Governo para nos dar um incentivo, e eu espero que agora a gente possa está trabalhando juntos, eu espero que a gente possa acontecer com esse incentivo e a gente só tem a agradecer esse momento. Espero que dê tudo certo e a gente consiga realmente fazer essa parceria com o Estado e continuar levando o nome da empresa e do Estado para frente”

 

Foto: Ascom Fiepa

 

A segunda indústria que recebeu a comitiva do “Na Fábrica” Rajá, que atua no Pará há 22 anos através da exportação do açaí congelado. Atualmente a marca leva seu produto para quase todo Brasil e, também, alguns países. A produção alcança uma média de 1.500 toneladas ao mês. Antes de sair do Estado, o açaí passa por uma sequência de processos que garantem a higienização da mercadoria como o branqueamento e a pasteurização. Apesar dos números positivos, a falta da matéria prima, o açaí ainda como fruto, faz com que a empresa do Rogério Magalhães Dias trabalhe abaixo da produção a qual a fábrica é capaz. Para o empresário, a junção das forças, Governo e indústria, aumentaria os postos de trabalho na fábrica, que hoje chegam a 100, “Quando se trabalha todo mundo com o mesmo objetivo, nós produzindo, o Estado nos ajudando com incentivo fiscal e financiamento de novos equipamentos, isso tende a fortalecer a indústria e consequentemente a gente consegue gerar muito mais empregos com tudo isso. Então a parceria para nós é fundamental”, explica o diretor comercial da Rajá.

Ainda sobre o déficit de matéria bruta para o desempenho de indústrias que dependem da produção do campo, como as de açaí ou outros frutos, o Vice-presidente da FIEPA, José Maria Mendonça, acredita que o caminho promissor está no incentivo às plantações dos diversos frutos regionais, “O que nós notamos numa visita dessa é que nós temos de sair plantando açaí, que todas as empresas de açaí estão precisando, estão trabalhando abaixo de sua capacidade. Então eu acho que o caminho é esse, é conhecendo as fábricas e, uma a umas, a gente vai mostrando a genuína produção do Estado do Pará”. 

Além da Poly Perfil e a Rajá, o Projeto na Fábrica já esteve presente nos grupos Bellamazon, no município de Marituba, Papaguara e Vitória, no Distrito Industrial de Ananindeua; Açaí World, em Benevides; a Tintas Veloz, em Ananindeua; e a Companhia Têxtil, em Castanhal. “ É um Projeto de extrema relevância para o setor produtivo, bem como, para o Governo - Políticas Públicas, de alcance Econômico-Social, com repercussão positiva para atração de investimentos e o ambiente de negócios no Estado do Pará”, finaliza o Coordenador de Desenvolvimento da Sedeme, Mauro Barbalho.

Veja Também

Pautas